Climategate – II

Date: Sun, 13 Dec 2009 22:26:58 +0000

Viva!
É sempre com grande prazer que falo contigo. Pena não conversarmos mais vezes, mas, espero que saibas que estou sempre ao dispôr, mesmo que seja só para bebermos um copo.
Para responder ao que comentaste, visita o site da estação meteorológica da Covilhã ( http://www.meteocovilha.com/ ) para veres o registo das variaveis desde a instalação desta estação. A última vez que nevou foi em Outubro deste ano.
Quanto à caparica, dois factores contribuiram para aquela vergonha: a construção em área dunar, algo hoje ilegal, e a falta de sedimentação. De facto, tirando as casas em cima da praia, que desde o início estavam a pedi-las, a sedimentação foi interrompida desde os anos setenta: a montante, na bacia do tejo, as barragens retêm os sedimentos que devem alimentar as praias da barra; na vila, em si, aqueles pontões são um erro indescritivel, já que só retêm o sedimento à margem e o lixo no interior. As correntes que se formam, vindas de Sul, ajudadas pelos remoinhos formados entre os pontões, levam o sedimento das praias para a barra do Tejo, onde se juntam com a matéria sedimentar que, devido à redução da energia do transporte causada pelas barragens, se acumulam no mesmo sítio, em vez de serem distribuidas pela costa. Assim, temos praias com menos areia e uma barra cada vez mais perigosa para a navegação.
Ir à praia em Outubro não só é bastante vulgar como, dado o fenómeno de “upwelling” que se formou na nossa costa àcerca de 2000 anos atrás (altura em que os fenícios deixaram de conseguir navegar para Norte, em Direcção à Galiza), é mais sensato porque a água está mais quente junto à costa. Quanto às temperaturas atmosféricas, o que dá vontade de estar em tronco nu, são asmesmas desde o final da Pequena Idade do Gelo, por volta de 1850. A memória colectiva é que não é capaz de integrar que há poucos anos atrás, em Outubro, não se ía à praia porque se estava a trabalhar ou em aulas, algo que hoje não se justifica pela maior mobilidade.
Chover durante semanas, embora não seja bom, até acontece em alguns micro-sistemas como a Cova da Beira ou o Alentejo a Oeste da Serra d’Ossa (por causa da humidade do Alqueva) – é só ver os registos “RAW” do Instituto de Meteorologia. A baixa pluviométrica só se registou a partir de 1998 (ano do grande El Niño) quando o Hemisfério Norte começou a arrefecer (dados de satélite da Universidade do Arizona-Huntsville, UAH, sem os arranjos dos termómetros de superfície). A baixa de temperaturas promove a acumulação de água nos oceanos, glaciares e no Ártico (que está a arrefecer e crescer, algo que constatas se seguires os links que enviei antes). Essa água é retirada à atmosfera que se torna mais fria e incapaz de precipitar a mesma quantidade que em períodos quentes.
Quanto à acção humana, eu só discordo de paranóia geral na medida em que afirmar que o CO2 emitido pela actividade humana é a causa das alterações climáticas, é a negação da ciência. Eu vejo alterações climáticas no registo geológico e arqueológico antes da revolução industrial… Antes do Homem! E todas elas têm explicação, incluindo o início e o fim do Período Quente Contemporâneo (~1850-1998). Mais uma vez, não vou estar a inundar-te de argumentos como: o CO2 é o alimento das plantas e que o que tem origem humana é 1/40 do total emitido todos os anos pelo planeta. É só perder algum tempo e pesquisar. Há assuntos mais importantes como a poluição, a fome, a exploração financeira, os OGM’s, para combater que uma mentira aproveitada pela alta finança para lançar impostos e impedir o desenvolvimento dos países exportadores de matérias-primas.
Destaca-te das massas! Pesquisa e tira as tuas conclusões! Hoje não há desculpas para comportamentos colectivos como o nazismo. O eco-fascismo só atrai quem está disposto a tal.
Com os melhores cumprimentos!
António Gaito

From: xxx
Date: Sun, 13 Dec 2009 11:29:46 +0000
Subject: Re: Climategate
To: o_impertinente@hotmail.com

olhó gaijo …

lamento uma mente tão inteligente perder tanto tempo no sentido errado…
não sou expert da área mas tenho olhos e cabeça
olhos que vêm coisas como a caparica incontrolavel, que não me lembro a quanto tempo não cai neve na Covilha, que não me lembro de nunca ter ido a praia em outubro ou de a quanto tempo nao chove durante semnas como acontecia antigamente.
Também tenho meia duzia de neuronios para perceber que o homem, ao contráro da natureza não é auto-suficiente, limitando-se a gastar os recursos que tem disponiveis, sem nunca se preocupar com o resultado disso.
Felizmente vejo que as coisas estão a mudar e a mentalidade começa a ser outra.

“ The release of atom power has changed everything except our way of thinking…the solution to this problem lies in the heart of mankind. If only I had known, I should have become a watchmaker.”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: