Mortalidade das abelhas ameaça produção de alimentos

Date: Fri, 11 Mar 2011 00:28:44 +0000

Viva!

Reproduzo abaixo a notícia da SIC dobre o declíneo na população de abelhas.

Este é um verdadeiro problema ambiental, ao contrário das alterações clímáticas que, segundo o Evangelho Ecologista, são causadas pelos Seres Humanos (pela primeira vez em 4.500.000.000 de anos na história das constantes alterações climáticas do Planeta Terra).

Só me espanta que não se tenham dado ao trabalho de dizer que o maior problema para a sobrevivência das populações de abelhas é um ácaro extremamente resistente (como podem verificar pelos resultados de cinco minutos de pesquisa na Internet que apresento abaixo) – o único problema que não é imputável aos Humanos, tendo em conta que «o uso de pesticidas, a poluição atmosférica, a redução do número de plantas com flor e de apicultores na Europa» são nossa culpa.

Mesmo assim, devido à subida das temperaturas médias globais entre 1880 e 2000 (respectivamente, final da Pequena Idade do Gelo e do Período Quente Contemporâneo), tal como à revolução verde dos anos de 1970 e ao aumento do dióxido de carbono na atmosfera (de umas 280 partes por milhão em 1850para as 390 p.p.m. actuais – 2% desse aumento devido à utilização de combustíveis fósseis -, o que causou um aumento na biomassa disponível, já que abaixo das 250 p.p.m. as plantas não conseguem fazer a fotossíntese e, mais CO2 significa mais alimento), não há «redução do número de plantas com flor »! É precisamente o contrário!

E se o número de apicultores na Europa diminuiu, só podemos culpar os entraves que a Política Agrícola Comum e as políticas pseudo-ecologistas colocaram à livre iniciativa no sector agrícola.

Nos E.U.A., onde o problema é ainda mais grave devido à invasão por abelhas africanizadas, que matam as outras populações, desenvolveu-se um negócio lucrativo de apicultores itinerantes: as colmeias são transportadas em camiões por todo o país para polinizar colheitas. Os apicultores são pagos por este serviço, vendem o mel que as abelhas produzem e, as que escapam, fundam novas colónias que ajudam a reestabelecer o balanço natural. Todos saem a ganhar!

A notícia é alarmista… E temos razões para alarme! Não podemos é faltar à verdade.

E OS 53% DE AUMENTO NO VENCIMENTO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA E.D.P. RENOVÁVEIS, PAGO POR TODOS NÓS (É SÓ LER O VERSO DA FACTURA DA ELECTRICIDADE), PODIA SER MAIS ÚTIL SE FOSSE APLICADO NUM PROGRAMA DE REPOVOAMENTO DE ABELHAS, DESENVOLVIMENTO DA APICULTURA E EDUCAÇÃO AMBIENTAL DOS BRAVOS AGRICULTORES QUE AINDA NÃO DESISTIRAM!

Cumprimentos!
António Gaito

«O fenómeno da elevada mortalidade das abelhas é sobretudo visível nos países industrializados do hemisfério norte do planeta, refere o documento do Programa das Nações Unidas para o Ambiente (PNUA), citado pelas agências internacionais de notícias.
Entre os fatores que explicam a redução do número destes insetos estão o uso de pesticidas, a poluição atmosférica, a redução do número de plantas com flor e de apicultores na Europa.
O número de colónias de abelhas caiu de 10 a 30% nos últimos anos na Europa, cerca de 30% nos Estados Unidos e mais de 85% no Médio Oriente.
O relatório da ONU lembra que o desaparecimento das abelhas pode ter graves consequências na produção alimentar, uma vez que a maioria das culturas agrícolas são polinizadas por abelhas. Aliás, só na Europa há cerca de quatro mil espécies de vegetais que existem porque são polinizadas.
“O facto é que em cem espécies vegetais que fornecem 90% dos alimentos do mundo, mais de 70% são polinizados por abelhas”, declarou o direito-executivo do PNUA, Achim Steiner, numa conferência de imprensa de apresentação do relatório.
Contudo, os cientistas não chegaram a medir o impacto direto da mortalidade das abelhas nas culturas de frutas e de legumes.
Lusa»

  1. ^ Watanabe, M. (1994). “Pollination worries rise as honey bees decline”. Science 265: 1170. doi:10.1126/science.265.5176.1170.
  2. ^ “Honey Bee Die-Off Alarms Beekeepers, Crop Growers and Researchers”. Pennsylvania State University College of Agricultural Sciences. 2007-01-29. http://www.aginfo.psu.edu/News/07Jan/HoneyBees.htm.
  3. ^ “Scientists and Soldiers Solve a Bee Mystery”
  4. ^ “What a scientist didn’t tell the New York Times about his study on bee deaths”
  5. ^ Jerry J. Bromenshenk, Colin B. Henderson, Charles H. Wick, Michael F. Stanford, Alan W. Zulich, Rabih E. Jabbour, Samir V. Deshpande, Patrick E. McCubbin, Robert A. Seccomb, Phillip M. Welch, Trevor Williams, David R. Firth, Evan Skowronski, Margaret M. Lehmann, Shan L. Bilimoria, Joanna Gress, Kevin W. Wanner, Robert A. Cramer Jr (06 Oct 2010). “Iridovirus and Microsporidian Linked to Honey Bee Colony Decline” (in English). PLoS ONE. http://www.plosone.org/article/info:doi/10.1371/journal.pone.0013181.
  6. ^ “Honey bees in US facing extinction”, Telegraph 14 March 2007
  7. ^ Fears for crops as shock figures from America show scale of bee catastrophe. Alison Benjamin. The Observer, 2 May 2010.
  8. ^ “Beekeepers Report Continued Heavy Losses From Colony Collapse Disorder”. Sciencedaily.com. 2008-05-12. http://www.sciencedaily.com/releases/2008/05/080509111955.htm. Retrieved 2010-06-22.
  9. ^ German Consumer Protection Agency Bulletin June 9, 2008
  10. ^ Mason bee from Everything.About. Retrieved 10 March 2009.
  11. ^ “Statute Law UK”. Crown Copyright. March 1980. http://www.statutelaw.gov.uk/content.aspx?LegType=All+Legislation&title=Bees+Act&searchEnacted=0&extentMatchOnly=0&confersPower=0&blanketAmendment=0&sortAlpha=0&TYPE=QS&PageNumber=1&NavFrom=0&parentActiveTextDocId=1507973&ActiveTextDocId=1507973&filesize=17676. Retrieved 2009-01-20.

O texto acima foi escrito com o maior desprezo pelo Acordo Ortográfico.

António Lopes Pereira Gaito

15 Respostas to “Mortalidade das abelhas ameaça produção de alimentos”

  1. João Paulo Marques Matos Says:

    arranjam sempre uma desculpa… raio do acarito que fez desaparecer as abelhas, só abelhas? e a causa? e a diminuição dos outro insectos? q

    • quartarepublica Says:

      Que outros insectos? Se não disseres a que insectos te referes, não posso dar uma resposta!

      • João Paulo Marques Matos Says:

        já revi o meu armario, a roupa ta la toda [ufa]

        exacto eu nao especifiquei propositadamente; e a questão persiste: de onde vem este monstro de tamanho tal que nem os vejo, capaz de dar cabo das abelhas do planeta em diferentes partes do mundo.

  2. João Paulo Marques Matos Says:

    é claro que as industrias não abusam dos químicos.. hoje sabemos do DDT e afins amanha saberemos dos outros.. tudo a seu tempo, enquanto tivermos tempo….

    • quartarepublica Says:

      Em que parte deste artigo é que eu nego o efeito negativo dos agro-químicos nas abelhas?
      E quanto ao DDT, além de estudos epidemiológicos, és capaz de me apontar UM estudo concreto que afirme: “o DDT, mesmo em doses moderadas, é um químico perigoso”? No entanto, a malária que esteve prestes a ser erradicada, voltou a matar MILHÕES de pessoas todos os anos desde a proíbição do DDT. E, já agora, sabes que a OMS voltou a recomendar o uso de DDT para controlar as populações de mosquitos? E que desde que o DDT voltou a ser utilizado, o número de infecções e de mortes por malária voltou a diminuir?

  3. João Paulo Marques Matos Says:

    eu não disse que o fizeste, mas se quiseres ve-lo desta forma: é a forma propositada como arranjam desculpas para justficar todo o mal que as grandes empresas fazem. Porque não falas disso? porque não falas de todas as outras teorias que falam das causas do desaparecimento da abelha?

    Quanto ao DDT e as referencias, bastou ir a wikipedia e ver todas as referencias para estudos que o comprovam: http://en.wikipedia.org/wiki/DDT#References
    Quanto à questão do uso de um produto que é aparentemente bom apesar de ter sido abolido mundialmente é uma questão de escolhas. Existem muitos químicos que diferentes países aceitam ou rejeitam e as populações sofrem com isso; ou achas que o surto de cancro e outras doenças surgiu por acaso nos últimos anos? Se o vires pelo ponto de vista da sustentabilidade então terias de nega-lo. podemos aceitar um produto que pode curar uma coisa e dar origem a outra? Eu digo que temos de abandona-lo e não continuar a promover estes produtos que só servem para encher de dinheiro os seus criadores (a nossa conhecida Monsanto) enquanto anda a matar pessoas que não têm os cuidados essenciais que impediriam essas doenças.

    • quartarepublica Says:

      O “monstro”, como lhe chamaste, é o Varroa destructor… Claro que poderias ter seguido os links no artigo para confirmar, se tens dúvidas.
      E tu, porque não falas das coisas boas que as grandes empresas fazem?
      Este tema já passou a barreira teórica – as causas estão identificadas. E se releres o artigo, a única que eu questiono é a alegada diminuição das plantas com flor. Não nego nem desculpo qualquer causa de origem humana… Simplesmente aponto um facto, juntamente com links que o confirmam: a principal ameaça às populações de Apis cerana e Apis melifera é o ácaro Varrua destructor.
      Quanto às referências da Wikipedia sobre o DDT, não fizeste o trabalho de casa: tens estudos epidemiológicos que apontam a única coisa que a epidemiologia pode apontar – correlações. Pedi-te um estudo que estabeleça uma relação causal (causa-efeito) entre doses moderadas de DDT e doenças no ser humano. Posso poupar-te o trabalho e dizer-te que não existe! E se o subproduto da decomposição do DDT, o DDE, tem efeitos nocivos nos ecossistemas – o que é inegável -, parece-me um preço aceitável a pagar pela erradicação da malária e de outras doenças que afligem, sobretudo, os países do Terceiro Mundo.

  4. João Paulo Marques Matos Says:

    Eu sei que fujo ao tópico, mas quando apontas dizendo que fujo não te esqueces como o teu artigo desvaria por diferentes tópicos? Deixa-me dizer-te que tens uma linha de pensamento bastante óbvia (desculpa dirigir a questão desta forma): tentar justificar tudo desviando ao máximo as atenções a tudo o que possa dar a entender que existe mão humana nas alterações que os diferentes ecossistemas estão a sofrer.

    Mas eu vou por onde tu queres:

    “Este é um verdadeiro problema ambiental, ao contrário das alterações climáticas que, segundo o Evangelho Ecologista, são causadas pelos Seres Humanos (pela primeira vez em 4.500.000.000 de anos na história das constantes alterações climáticas do Planeta Terra).”

    Ao dizeres que este é um verdadeiro problema ambiental, ao contrário das alterações climáticas estas a dar um tiro no pé. Como tu dizes mais a frente

    o único problema [hackarito] que não é imputável aos Humanos, tendo em conta que «o uso de pesticidas, a poluição atmosférica, a redução do número de plantas com flor e de apicultores na Europa» são nossa culpa.

    Se reduzes o numero de insetos pelo motivo que indicas então estas a dar cabo de um ecossistema e nesse caso estas a criar alterações climáticas. Ao nega-lo negas a partida o conceito de ecossistema. Também neste paragrafo negas que os actos que o homem toma, tais como poluição das aguas, ar, desflorestação, etc não têm impacto neste ecossistema e consequentemente do clima. não citas fonte.

    Consigo retirar alguma coisa a partir da tua 3ª referencia que fala de incerteza e de um artigo publicado numa espécie de wikipedia em que os supostos artigos científicos são analisados por pessoas “normais”. não preciso dizer que isso não o torna o paradigma, muito menos suspeitas. a quarta vai dar ao 3ª. os links da 5ª é o mesmo. 6ª é o mesmo estudo. a ª é outro tiro no pé:

    Potential causes range from parasites, such as the bloodsucking varroa mite, to viral and bacterial infections, pesticides and poor nutrition stemming from intensive farming methods. The disappearance of so many colonies has also been dubbed “Mary Celeste syndrome” due to the absence of dead bees in many of the empty hives.

    US scientists have found 121 different pesticides in samples of bees, wax and pollen, lending credence to the notion that pesticides are a key problem. “We believe that some subtle interactions between nutrition, pesticide exposure and other stressors are converging to kill colonies,” said Jeffery Pettis, of the ARS’s bee research laboratory.

    e o estudo que menciona também é o mesmo.

    A 8ª é estatistica. a 9ª da erro. a 10ª fala sobre um genero de abelha. a 11ª vai para a legislação inglesa.

    resumindo 1 estudo e muitas referencias a esse estudo. O que este parece estar a mostrar é exactamente o que querem que vejas: razões para usarem mais pesticidas. tu pegas e viras-te contra os que supostamente querem salvar o planeta.

    Continuando:

    Mesmo assim, devido à subida das temperaturas médias globais entre 1880 e 2000
    porque não dizes até 2010?? é sabido que é o ano mais quente de que há registo!

    (respectivamente, final da Pequena Idade do Gelo e do Período Quente Contemporâneo), tal como à revolução verde dos anos de 1970 e ao aumento do dióxido de carbono na atmosfera (de umas 280 partes por milhão em 1850para as 390 p.p.m. actuais – 2% ### referencia###### desse aumento devido à utilização de combustíveis fósseis -, o que causou um aumento na biomassa disponível, já que abaixo das 250 p.p.m. as plantas não conseguem fazer a fotossíntese e, mais CO2 significa mais alimento), não há «redução do número de plantas com flor »! É precisamente o contrário!

    lol como elas têm mais alimento reproduzem-se mais consequentemente é precisamente o contrário.. dizes tu! que raio, as plantas reproduzem-se mais se existir mais polinização! qual é o estudo que referencias aqui?

    “E se o número de apicultores na Europa diminuiu, só podemos culpar os entraves que a Política Agrícola Comum e as políticas pseudo-ecologistas colocaram à livre iniciativa no sector agrícola.”
    livre iniciativa é uma palavra bonita, mas com muita responsabilidade. por falar em responsabilidade em que nos baseamos para apontar o dedo desta forma? as abelhas e as plantas trabalham bem sem nós, sempre trabalharam e planeta viveu por milhares de anos, sem agricultores a “cultivar abelhas. menos falácias sff!

    continuando:
    “Nos E.U.A., onde o problema é ainda mais grave devido à invasão por abelhas africanizadas, que matam as outras populações, desenvolveu-se um negócio lucrativo de apicultores itinerantes: as colmeias são transportadas em camiões por todo o país para polinizar colheitas. ”
    Ou seja por um problema que eles geraram, agora andam a poluir ainda mais e a espalhar ainda mais pesticidas……..

    Depois voltas ao mediatismo e ao populismo. Poderias ter falado de vários sitios onde o dinheiro é mal empregue, mas vais sempre ao mesmo. Deixa-me recordar-te que a EDP é privada pelo que estas a usar uma falácia e a apontar o dedo ao que nem tu nem eu sabemos. BTW como tudo o que é privado só usas se quiseres….. partes do principio que esta tudo bem e logo é dinheiro mal gasto…

    resumindo o teu artigo: tentas justificar o desaparecimento de abelhas com 1 estudo inconclusivo e juntas falácias para apimentar a coisa. Sei que és capaz de melhor-

    voltando ao meu argumento:
    negas algo que esta mais do que provado e preferes destruir o planeta para curar pessoas do simplesmente melhorar as condições de vida dessas pessoas evitando o problema… salvaste-as da malária, mas não resolveste os outros e acabas por deixa-los a braços com outros tantos. deixa-me recorda-te que depois de destruíres o planeta não há outro e não serviu de nada salvares as pessoas.
    e não me venhas com tretas do salvar as pessoas do 3º mundo porque se quisessem faze-lo já o tinham feito e vender pesticidas para supostamente tratar pessoas é simplesmente a procura de mais lucro sem verdadeira preocupação, pois como já disse se o quisessem resolver já o teriam feito – mas isso não dá lucro.

    se as empresas não fazem coisas boas? fazem. escravos. pagas para viver num buraco. pagas para comer porcaria em galinheiros. compras lixo e mais lixo sem destino que não verdade não necessitas… coisas “boas” como doenças como nunca vimos. pessoas que deveriam ser inteligentes e fazer o que tu e eu estamos a fazer e estão neste momento a ver uma das 20 novelas que devem estar a passar, etc

  5. quartarepublica Says:

    «Se reduzes o numero de insetos pelo motivo que indicas então estas a dar cabo de um ecossistema e nesse caso estas a criar alterações climáticas.» Pá, desculpa dizer-te que isto não faz sentido! Em que é que a redução do número de abelhas afecta o clima do planeta?
    O ano mais quente de que há registo á 1934, seguido de 1998. Dá uma vista de olhos a este tópico: https://quartarepublica.wordpress.com/2011/03/14/temperaturas-de-satelite-2010/. Também podes dar uma vista de olhos no widget que tenho na barra lateral. O que o NASA-GISS defende em relação a 2010 é ter sido tão quente como 1998, já que eles “ajustaram” as temperaturas e 1934 deixou de ser o ano mais quente. O facto é que nos últimos dez anos o que existe é uma tendência de arrefecimento! 1998 e 2010 são anos excepcionais por terem tido fenómenos de El Niño muito fortes – não me venhas dizer que há mão humana na El Niño Southern Oscilation porque nem os alarmistas mais ferrenhos colocam essa questão!
    O aumento da biomassa, devido ao aumento do CO2 na atmosfera, não é disputado por ninguém. Logo, não há contradição em dizer que mais biomassa significa mais plantas com flor. Pensei que tivesse sido claro!
    Em que medida é que o negócio dos apicultores itenerantes é poluente? E como é que libertar abelhas nos campos para polinizar as culturas, envolve pesticidas? Neste ponto, desculpa, não dizes coisa com coisa!
    A EDP Renováveis tem resultados financeiros tão bons porque cada exploração é subsidiada e cada Mw produzido é pago entre seis a quinze vezes o preço de mercado e obrigatoriamente introduzido na rede nacional, mesmo que não seja preciso. Quem paga esta política somos todos nós, através do Orçamento de Estado e dos “custos adicionais” – basta leres o verso da tua factura de electricidade…
    Quanto à tua conclusão, recordo o tema original do artigo: além das causas enumeradas, a principal ameaça às populações de abelhas é o tal ácaro; uma das causas apontadas, a redução do número de plantas com flor, é falsa e reconheço a necessidade urgente de abordar este problema que ameaça a produção de alimentos em todo o mundo!
    Dexa-me também recordar-te, também, que é nos Estados de Direito Democráticos com economias liberais que as populações têm melhor qualidade de vida, o ambiente é mais protegido, a poluição é menor eas pessoas podem discutir livremente estes temas, como estamos a fazer!

  6. João Paulo Marques Matos Says:

    Se reduzes o numero de insetos pelo motivo que indicas então estas a dar cabo de um ecossistema e nesse caso estas a criar alterações climáticas.» Pá, desculpa dizer-te que isto não faz sentido! Em que é que a redução do número de abelhas afecta o clima do planeta?

    Se reduzes o numero de insetos pelo motivo que indicas então estas a dar cabo de um ecossistema e nesse caso estas a criar alterações climáticas

    o link que mencionas é conversa tua com links que dao erro. 2010 foi ponto. a desculpa é sempre o el nino. explicas-me então porque aparentemente antes o el nino não nos fazia isto? estou a referir pré 98.

    O aumento da biomassa, devido ao aumento do CO2 na atmosfera, não é disputado por ninguém. Logo, não há contradição em dizer que mais biomassa significa mais plantas com flor. Pensei que tivesse sido claro!
    como é que o aumento da biomassa faz aumentar a reprodução das plantas? porque so tens mais plantas se elas se reproduzirem.

    Em que medida é que o negócio dos apicultores itenerantes é poluente?
    como é que transportam as abelhas?
    E como é que libertar abelhas nos campos para polinizar as culturas, envolve pesticidas? Neste ponto, desculpa, não dizes coisa com coisa!
    lol polinizar culturas cheias de pesticidas
    http://foodfreedom.wordpress.com/2010/12/13/bee-killing-chemical-lurks-inside-your-food/

    como é que negas a redução do numero de plantas com flor ó deus que tudo vê e sabe?

    Dexa-me também recordar-te, também, que é nos Estados de Direito Democráticos com economias liberais que as populações têm melhor qualidade de vida, o ambiente é mais protegido, a poluição é menor eas pessoas podem discutir livremente estes temas, como estamos a fazer!
    FALSO!!!!!!
    economias liberais como as dos estado unidos são o pior exemplo que se pode ter: pior sistema de saúde, pior sistema criminal, pior sistema de educação. e o que tens é tudo menos democracia.

    infeliz que sou em debater estes temas contigo, os problemas continuam lá todos. Milhares nas ruas não fazem nada. votar mais para um lado ou mais para o outro não muda nada. CHEGA!

  7. quartarepublica Says:

    O link está correcto: https://quartarepublica.wordpress.com/2011/03/14/temperaturas-de-satelite-2010/ . Tal como as imagens no final do artigo.
    Pelo menos, desde o início do Holoceno que a E.N.S.O. existe: http://hol.sagepub.com/content/15/1/42 . Sempre houve “excursões” para índíces elevados: http://www.esrl.noaa.gov/psd/enso/ .
    Tens mais plantas e maiores: http://wattsupwiththat.com/2008/06/08/surprise-earths-biosphere-is-booming-co2-the-cause/ ; http://www.news.wisc.edu/17436 ; http://sercblog.si.edu/?p=466 .
    Se as abelhas são transportadas em camiões e os camiões poluem, a apicultura itenerante é um negócio poluente – é este o teu raciocínio? Isso é puro fundamentalismo…
    Os pesticidas, se existirem, não são os apicultores que os aplicam.
    Quanto à última questão, andas a ver muito os Zeitgeist… Pensei que o pior exemplo fossem países párias e tirânicos como o Irão, Venezuela, Cuba, China, Angola, Zimbabwe, Coreia do Norte ou Cambodja.

    DESCULPA – a página de referência mudou entretanto para http://wattsupwiththat.com/reference-pages/enso/ .

  8. João Paulo Marques Matos Says:

    fundamentalismo, meu? portanto os carros já não poluem.. perfeito!

  9. quartarepublica Says:

    OS CARROS POLUEM! NUNCA DISSE O CONTRÁRIO.
    Estando este ponto estabelecido, podes responder ao resto dos argumentos que enunciei…

  10. joao matos Says:

    http://globalresearch.ca/index.php?context=va&aid=24268

  11. quartarepublica Says:

    «The UNEP report lists eight reasons for colony collapse disorder: Habitat destruction, invasive species (like the parasitic mite, Varroa destructor), air pollution, electromagnetic pollution, pesticides and other chemical pollution, industrial transport (where a million bees die each year), colony splitting, and diet. The report does not mention genetically engineered crops as a contributing factor to bee decline, but does attack monocultures».
    Não tenho informação sobre a radiação electromagnética, portanto, não vou opinar.
    O transporte de colmeias, embora possa causar a morte de algumas, diz respeito à exploração apícola e não a abelhas selvagens, portanto, podemos considerar uma externalidade.
    Na altura em que discutimos este tópico, não estava a par da questão das monoculturas (sitema de exploração com o qual não concordo). Entretanto, vi um documentário que me levou a pesquisar e parece-me que, em muitos sítios, é a principal ameaça.
    Quanto aos OGM’s (assunto em relação ao qual tenho uma posição de precaução, não sendo totalmente defensor nem opositor), o relatório do P.A.N.U. não os refere, concerteza, por causa do lobby. Não sei até que ponto terá algum fundamento relacionar o colapso das colónias com OGM’s, mas, sem dúvida que merece investigação.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: