Liberdade para a Líbia!

Viva!

À hora a que escrevo, acabou de ser aprovada pelos quinze menbros (dez votos a favor, quatro abstenções) do Conselho de Segurança das Nações Unidas a resolução que impõe a proíbição de voos militares no espaço aéreo líbio.

As imagens da Aljazeera, em directo de Benghazi, são de alegria e esperança, quando, há poucas horas atrás, o medo de um massacre às mão das tropas e mercenários fiéis a Kadafi estava presente no rosto dos líbios que defendem a liberdade e a democracia.

Dentro de poucas horas, estações de radar, baterias e estações de misseis anti-aéreos, pistas de aviação, aeronaves militares no solo e em voo, tal como estações e sistemas de transmissões e abastecimento  serão cirurgicamente bombardeadas por uma aliança internacional, ainda não se sabe sob a liderança de que país. O que importa é que o Ocidente e o mundo muçulmano chegou a um acordo histórico que, em cima da hora, perante a ameaça de um massacre, legitimou a actuação da comunidade internacional.

Esperemos que não aconteça como em 1991, no Iraque, quando se deixou o trabalho a meio e o ditador pôde continuar a explorar e assassinar o seu povo. Esperemos, também, que esta ajuda da comunidade internacional seja suficiente para os opositores ao regime tirânico de Kadafi poderem recuperar das derrotas dos últimos dias e, na melhor das hipóteses, tomar Trípoli e prender Kadafi e os seus colaboradores.

Cumprimentos a todos os defensores dos direitos, liberdades e garantias a que cada ser humano tem direito!

António Gaito

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: