O que é que se passa no Ártico?

 

Anomalia térmica à superfície do mar, regularmente actualizada na barra lateral deste blog.

Viva!

À vista desarmada não é fácil distinguir a aberração que existe actualmente no círculo polar Ártico, mas, com poucas centenas de quilómetros de diferença, há massas de água com diferenciais térmicos na ordem dos 9C!

Como o saudoso Rui Moura não está aqui para nos orientar, não sei o que dizer disto:

  • a espessura do gelo no Ártico está a aumentar;
  • o gelo marítimo no Círculo Polar está mais extenso que o costume (embora, se tivermos em conta as latitudes a Sul do Círculo Polar a anomalia seja negativa, tal como indica o gráfico na barra lateral);
  • a cobertura de neve continental é das maiores dos últimos 150 anos;
  • as temperaturas médias no Hemisfério Norte, à escala regional, são anormalmente baixas na sua maioria;
  • a Oscilação do Atlântico Norte não recupera da tendência negativa;
  • para confundir tudo, aparece uma massa de água, sabe-se lá como, com temperaturas superiores em 4,5C ao normal, a poucas centenas de quilómetros de outra massa de água que, vá-se lá saber porquê, é uns 4,5C mais fria que o normal;
  • a Corrente do Golfo está fraca, portanto, não se explica aquela massa de água quente;
  • não há Anticiclones Móveis Polares que expliquem a massa de água fria;
  • nem “alarmistas” nem “cépticos” são capazes de explicar isto, o que quer dizer que não compreendemos o clima da Terra tão bem bem como certos propagandistas querem fazer parecer – se alguém tiver uma ideia, por favor, explique-me!

Moral da história: há tantas variáveis a influenciar o clima do planeta que, cada vez que ouço a lengalenga socialista sobre o dióxido de carbono, só me apetece esfregar o nariz dos alarmistas nestes gráficos e mapas, tal como algumas pessoas fazem aos cães que ainda não aprenderam a deixar o “presente” fora de casa…

Cumprimentos!

António Gaito

2 Respostas to “O que é que se passa no Ártico?”

  1. joao matos Says:

    fascista: fontes! btw se te incomoda que te chamem fascista não faças o mesmo aos outros….

  2. quartarepublica Says:

    1º – olha para a imagem acima – é regularmente actualizada na barra lateral;
    2º – está lá a referência: o gráfico da barra lateral;
    3º – podes confirmar, tal como os anteriores em http://arctic.atmos.uiuc.edu/cryosphere/;
    4º – http://discover.itsc.uah.edu/amsutemps/
    5º – barra lateral;
    6º – vê a primeira imagem, a que motivou o artigo;
    7º – se estivesse normal ou forte, não havia aquela anomalia negativa desde o Mar de Sargaços à costa do Labrador;
    8º – tão simples quanto isto: http://www.meteo.pt/pt/otempo/previsaonumerica/
    9º – tens alguma explicação? Eu não e ainda não encontrei nenhuma, portanto, não há referências possíveis – daí ter escrito isto!
    Não tenho qualquer interesse em apresentar dados falsos! Sobretudo quando o que faço é colocar uma questão, e não defender seja o que for.
    Se a consequência do dogma religioso sobre o CO2 é a distribuição de riqueza e o estrangulamento da indústria Ocidental, isso é socialismo – quer queiras quer não! Não utilizei o termo como ofensa: a ofensa nas entrelinhas foi “ignorantes”. Nem me ofende ser chamado de fascista – não tenho esqueletos no armário em matéria política!
    Em vez de fazeres pirraça, ficava-te melhor teres sugerido alguma explicação para o fenómeno que descrevo – por mais incorrecta que fosse – e, talvez se pudesse discutir a questão em termos mais civilizados.
    Os argumentos “ad hominem” são próprios de quem não tem mais nenhum argumento…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: