9 barragens, 3 mil milhões de Euros, 3,2% da eletricidade nacional

Viva!

É indispensável prestar atenção a esta reportagem da TVI: http://www.tvi24.iol.pt/videos/video/13416462.

Manifestei-me várias vezes contra o crime ambiental que é o Plano Nacional de Barragens de Elevado Potencial Hidroeléctrico. Contas feitas, a destruição do património histórico, arquitetónico, arqueológico e ambiental que resulta deste imenso disparate só tem um nome: CRIME!

No total do consumo energético do país, a capacidade de produção destas nove barragens representa 1% do nosso consumo de energia e 3,2% do nosso consumo de electricidade. Ainda por cima, nada disto seria necessário se não fosse o investimento absurdo em eólicas! A principal função destas barragens será bombear água de jusante para montante, com a electricidade que as eólicas produzem em excesso – e nós somos obrigados a pagar –  quando não há consumo, em vez de a mandar para Espanha a custo zero ou dissipá-la na terra. Água essa que será turbinada para produzir electricidade quando o consumo aumenta.

Trata-se de um crime contra a economia, contra o património, contra o ambiente e contra as populações que só se percebe no âmbito de uma governação sem um plano energético que defenda os interesses da nação. Os únicos interesses defendidos com este plano são os das empresas do sector energético, das construtoras e dos bancos!

Cumprimentos!

António Gaito

4 Respostas to “9 barragens, 3 mil milhões de Euros, 3,2% da eletricidade nacional”

  1. joao matos Says:

    um crime contra a economia… como se alguém pudesse ser julgado por isso…. crime é o que fizeram em 2008 e ninguém foi preso!

    explica-me uma coisa: electricidade produzida em excesso? pelas eolicas? manda-las a custo zero? enterrar?

    os interesses das empresas do sector energético, das construtoras e dos bancos não são os interesses da economia?

  2. quartarepublica Says:

    Pois… Mas, há matéria criminal para isso!
    O que é que fizeram em 2008? Podes esclarecer para eu poder comentar.
    Explico-te desta forma: SIM! Vê os arquivos do Quarta República ou do Ecotretas e, se duvidares, lê os relatórios da ERSE. E não é enterrar, mas, dissipar na terra.
    Não são esses os interesses da economia… A não ser que sejas um “keynesiano” e não um libertário, como eu.

  3. joao matos Says:

    explica-me uma coisa: electricidade produzida em excesso? pelas eolicas? mas elas não são economicamente mas porque não produzem energia suficiente? manda-las a custo zero? enterrar? isso não é um absurdo economico?

    portanto eu tenho uma familia, a minha mulher e eu produzimos para nossa economia e só pode ser bom dependendo do sistema ideologico que estamos a falar….

    os interesses das empresas do sector energético, das construtoras e dos bancos são os interesses da economia merda! é esta economia baseada no dinheirismo que provoca isto tudo!

  4. quartarepublica Says:

    Já vi que não te deste ao trabalho de confirmar… Sim! As eólicas produzem imensas vezes energia que, por não ter entrada na rede nacional nem poder ser armazenada, é oferecida a Espanha ou dissipada na terra. O Plano Nacional de Barragens serve, sobretudo, para aproveitar essa electricidade e bombear água de jusante para montante, para poder reaproveitá-la na turbinagem… Ecologia da treta que está a destruir Foz Tua e Baixo Sabor para tapar o buraco das eólicas!
    Defende lá isto!
    Não culpes o capitalismo nem desconverses… Informa-te e depois fala sobre o assunto.
    Quanto ao documentário, penso já ter deixado claro que não apoio este sistema económico misto e corrupto!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: