Archive for the ‘Outras’ Category

Agradecimento aos leitores!

13/06/2011

Viva!

Gostaria de agradecer aos leitores do Quarta República que mantiveram as visitas diárias acima das 130 durante a semana que passou. Devido ao súbito falecimento da minha irmã, passei esta semana, crucial no que diz respeito ao futuro próximo do nosso país, sem escrever neste blog. Ao longo dos próximos dias actualizarei a informação e opinião que tem faltado… Publicarei, também, o «Manifesto pela Quarta República» que tomarei como ponto de partida ao lançamento do Movimento Libertário Português.

Cumprimentos!

António Gaito

Anúncios

Batam-se à vontade!

07/06/2011

ARTIGO CONVIDADO DE JOSÉ MARIA PIGNATELLI

Batam-se à vontade!

É uma vergonha o que os militares fazem

Em Portugal os critérios da Justiça nem sempre são congruentes. Muito mais evidentes são as diferenças entre as práticas civis e militares. Há dias, um magistrado decretou prisão preventiva para dois jovens que espancaram uma jovem, numa cena filmada e publicada no facebook e transmitida em todos os canais de televisão. Caiu o Carmo e a Trindade. O Bastonário da Ordem dos Advogados criticou a decisão apelidando-a de ‘terrorista’. Também se ouviram aplausos a este acontecimento inédito. (more…)

“Coisas estranhas” no Quarta República

29/05/2011

Viva!

O artigo anterior referia-se, entre outros nomes que tenho apontados na memória, ao Inspector reformado Dias André, da Polícia Judiciária! (more…)

EXCLUSIVO QUARTA REPÚBLICA!

28/05/2011

O Quarta República recebeu, através fonte que alegadamente se movimenta nos círculos próximos do “poder“, informações que comprometem personalidades ligadas aos órgãos de soberania e à comunicação social. (more…)

Novidades no Quarta República

08/05/2011

Viva!

Graças a todos vós, o Quarta República está ter um sucesso notável. Com menos de dois meses, cerca de duzentas visitas diárias… Uma boa parte, proveniente de fora de Portugal. Prestes a comemorar os dois meses de actividade, abre-se uma nova página na vida deste blog. (more…)

Dificuldades na actualização de dados climáticos

30/04/2011

Viva!

Devido ao mau tempo na América do Norte que, entre outros sítios, castigou severamente Huntsville, não tem sido possível possível aceder aos dados do sistema AMSU, disponibilizados diariamente pela UAH: http://discover.itsc.uah.edu/amsutemps/. (more…)

Comunicação na Sessão Solene Comemorativa do 25 de Abril na Pontinha

24/04/2011

Pontinha

Núcleo Museológico do Posto de Comando do Regimento de Engenharia I

25 de Abril de 2011

Caríssimos!

Pareceu-me pouco tempo, quando recebi em casa a carta que convidava a usar da palavra durante cinco minutos nesta sessão comemorativa. O que pode um comum Ser Humano dizer ou fazer em cinco minutos que, antes dele, não tenha sido dito ou feito por outros? Mas, a História – na verdadeira ortografia portuguesa e com “H” maiúsculo, não na versão imperialista que foi imposta por um punhado de intelectuais, subservientes aos interesses das editoras brasileiras – ensina-nos que, muitas vezes, cinco minutos bastam para alterar o curso histórico das nações e dos Estados. (more…)

Quando os pesticidas são necessários – II

19/04/2011

Viva!

Depois da cedência que já referi aos pesticidas,  com um sucesso notável, uma nova praga levou-me a comprar um insecticida.

Não encontrei qualquer solução natural e eficaz para os afídios dos citrinos que já estavam a contagiar outras culturas e interrogo-me: até que ponto os produtos ditos “biológicos” (como se houvesse produtos agrícolas que não o fossem) realmente o serão? (more…)

Um mês de Quarta República

15/04/2011

Viva!

O Quarta República faz hoje um mês de actividade. Para os leitores que, diariamente, contribuem para a livre circulação da informação, os meus agradecimentos!

Cumprimentos!

António Gaito

Quando os pesticidas são a última opção…

13/04/2011

A única alface "rossa di trento" sobrevivente, das seis atacadas... Só sobrou uma folha!

Viva!

Desde que me iniciei na agricultura por hobby, sempre tive por princípio conciliar os conhecimentos mais recentes com as práticas mais naturais. A minha primeira desilusão foi com a permacultura – quem me mandou ser preguiçoso e deixar hortícolas difíceis, como o tomateiro, crescer sem atenções nem cuidados? É a mesma coisa que tentar formar um neurocirurgião com os conhecimentos de uma tribo amazónica! Desde 2004, é o primeiro ano em que, parece-me, vou ter tomate…

Também aprendi que, num espaço limitado de terreno, se queremos ter uma produtividade razoável, além da incorporação de matéria orgânica no solo e da consociação de culturas, o adubo químico é fundamental! Doses moderadas de adubo NPK com micronutrientes evitam o remeximento da terra para estrumagem, o que é importante quando não podemos mexer na terra sem danificar as culturas. (more…)

A minha micro-horta

05/04/2011

Alecrim, salva, abóbora "big-max", cebola amarela, agrião-da-terra, alho roxo e branco, cebolinho, salsa, aipo, tomate coração-de-boi e "phisalis". Dentro de poucas semanas: tomate pêra-amarelo e algum Capsicum

  (more…)

Novidades no Quarta República

29/03/2011

Logotipo do Quarta República

Viva!

Quase duas semanas, quase mil visitas!

Agora, com um logotipo, cabeçalho renovado e barra lateral completa, o Quarta República oferece ainda mais recursos, além da minha humilde opinião.

Cumprimentos e obrigado a todos!

António Gaito

Novidades no Quarta República

24/03/2011

Viva!

Vi com a maior alegria que, ao fim da primeira semana de existência, ultrapassou-se as 300 visitas! Um grande obrigado a todos os visitantes deste blog!

A grande caminhada começa agora… Está em preparação uma lista de links de acordo com as categorias dos artigos, cumprindo assim o propósito do Quarta República: mais do que opinar, fornecer a informação ou torná-la acessível para que as pessoas pensem por elas próprias.

Está, também, a ser preparada uma remodelação estética e um logotipo do blog.

Na barra lateral, além do painel com as anomalias da temperatura global, actividade solar e CO2, conto ter informação actualizada em tempo real com meteorologia, notícias, indicadores financeiros e outra informação relevante para o âmbito do Quarta República.

Quem quiser contribuir com sugestões, é bem-vindo! Podem enviar um email para antoniolopes.ci@gmail.com .

Cumprimentos e agradecimentos a todos!

António Gaito

Finalmente, nasceu o blog!

15/03/2011

Viva!

Em 2009 criei uma newsletter para divulgar factos e opiniões que julgava necessário dar a conhecer. Esse trabalho custou-me tantas horas de pesquisa e dedicação que, estando essas mensagens perdidas algures nos arquivos de correio electrónico – muitas já inexistentes! – julguei necessário disponibilizá-las para todos.

Recuperei o que consegui e tentei corrigir as formatações para o www.wordpress.com , estando todas assinaladas com a data original.

E nasceu o Quarta República que vos apresento! Uma evolução lógica que, ao longo do período de transição, substituirá a newsletter. Peço, portanto, que caso queiram continuar a receber estes artigos, façam a subscrição na barra lateral.

Cumprimentos!

António Gaito

Spot tv censurado

14/03/2011

Date: Wed, 18 Jun 2008 05:10:39 +0100

Para vós que sois pseudo-defensores dos direitos dos animais mas, no entanto, comeis o belo bife do lombo mal-passado, aqui vai:

O motivo de estar a responder a este email, coisa que normalmente, não faço, deve-se ao estado de irritação que me desencadeou a ignorância e ingenuidade dos autores deste clip de video.
Caríssimos, se não gostam de corridas de touros (não estou a falar de touradas, como em Espanha – informem-se), não assistam. Eu também não gosto de comida macrobiótica! Se há imposto especial sobre o consumo sobre o alcool (que me dá prazer), sobre o tabaco (que me dá prazer), sobre os combustíveis ( gosto de carros que, a subir, desenvolvam a 5ª), porque raios é que os orgânicos, lights, biológicos, naturais, fair trades e Cia. não são taxados de forma diferente? Porque há um mercado, por mais prejudicial que os anteriormente descritos sejam para a saúde ou para o ambiente (novamente, informem-se)!
Há um mercado para as corridas de toiros… Se não houvesse, a raça apurada para a festa brava desapareceria, pois, não tem valor comercial para os talhos. E qual é o problema de nós, portugueses, espetarmos farpas de 2cm na pele do touro? Matamos bovídeos e outras espécies todos os dias, de forma mais cruel, nos matadouros (pois é, o McDonald’s não é tão inocente quanto isso).
O ser humano é, por excelência, predador dos recursos naturais e, como tal, causamos sofrimento a outras espécies. Porque raios é que não haveremos de continuar a causar-lhes sofrimento? Nós causamos sofrimento à nossa própria espécie! Os nossos antepassados primatas, assim que começaram a talhar pedras para caçar e desmembrar animais, ao perceberem o alcance da tecnologia lítica, começaram a matar-se uns aos outros (pois é! os tipos de esquerda que lerem isto não vão gostar de saber que o ‘bom selvagem’ não passa de um mito). Nós somos cruéis! A corrida de touros é cruel! E depois? Não vou apresentar desculpas para justificar uma alegada tradição e actividade económica….Gosto e basta!
Quanto ao apedrejamento mostrado no vídeo (o nome correcto é lapidação), é aplicado, actualmente às mulheres adúlteras (a violação também conta) nos estados que aplicam a Sharia (lei islâmica, do Al-Corão): Irão (os que querem ter armas nucleares para aniquilar o estado de Israel, única democracia do Oriente Próximo e, só hão-de conseguir porque os políticos de esquerda europeus são uma cambada de mariconços pacifistas que financiam o fundamentalismo islâmico); Nigéria (principal potência militar da África sahariana e quinto principal produtor de petróleo mundial) e Sudão (é só deserto, não tem recursos – se não ouviram falar em Darfur, informem-se).
Ponto final: antes de virem com a história da crueldade das corridas de touros, tratem de se colocar a par do MUNDO! É que estou farto de ver os vegetarianos (não têm noções mínimas de biologia) de esquerda (será que já ouviram falar da Albânia ou da Primavera de Praga ou de Tiennamen?), defensores dos direitos dos animais (o que é ridículo, visto que somos a única espécie que atribui direitos a outras… uma visão antropocêntrica que não difere muito daqueles criacionistas que defendem que o mundo, tal como o conhecemos, foi criado no dia 24 de Outubro de 4004 Antes da Nossa Era, pelas nove da manhã e, a terra é plana, sendo todo o conheimento científico, produto do engano de demónios – mais uma vez, informem-se!), amigos do ambiente (que não percebem ponta de corno de climatologia e usam computadores – só plasticos e metais pesados…) e com a mania que são donos da razão (o relativismo retórico que defendem, caso não saibam, funciona nos dois sentidos) a criticarem a festa brava. O último caso flagrante foi a associação de estudantes da Faculdade de Letras de Lisboa, de extrema esquerda, pró drogas, anti tradição académica e anti qualquer coisa, ponto!, não publicitar a garraiada académica, enquanto a faculdade está cheia de cartazes alusivos a eventos do Bloco de Esquerda (um deles a anunciar um evento sobre a tolerância – isto é uma palavra que para eles, anda de mãos dadas com a conveniência – cujo fundo ilustra dois homens a dar um ‘linguado’).
Talvez o facto de perder tempo a escrever isto – que podia ocupar a ver pornografia -, tenha a ver com o facto de haver por aí uma corja de hipócritas ignorantes e arrogantes que querem acabar com aquilo com que nos identificamos. Eu cá, por mim, vou continuar a comer carne (só como porco e peitos de frango… gosto mais de peixes e marisco), a beber (com qualidade – nada de desinfectantes com sumos), a fumar TABACO ( e até vou plantar Dark Virginia e Black Sea Blonde no quintal) e a ter relações sexuais com o género oposto. Nos tempos livres vou à pesca e, se os bilhetes forem acessíveis, vou ver uma bela corrida de touros à portuguesa.
Quem quiser comer cenouras, beber vodka-laranja, fumar cannabis e praticar sodomia, que o faça, mas, não me censure porque eu não os censuro nem tenho pachorra para os aturar!
Tenho dito…


%d bloggers like this: